Arquivo da categoria: Non classé

4 comentários a 4 trechos de artigo de Pacheco Pereira

Quatro comentários críticos (um pouco longos) a quatro trechos do artigo de opinião de Pacheco Pereira (JPP). Cito e comento cada trecho:

1 – “o relativismo “multicultural” pode ser muito bem avontadado, mas representa uma cedência de valores civilizacionais inaceitável por quem acredita que um mundo com direitos humanos é melhor do que a aceitação de qualquer selvajaria em nome dos “costumes” ou da religião.”

Dificilmente JPP encontrará defensores do relativismo “multicultural” que não acreditem num mundo com direitos humanos. Direi até que mais facilmente JPP encontrará adversários dos direitos humanos entre adversários do relativismo “multicultural”. E isto tanto à esquerda como à direita, tanto entre confissões religiosas como no mais arreligioso posicionamento público. E as razões adivinham-se depressa. Os direitos humanos são uma condição de possibilidade para a convivência de grandes diferenças multiculturais. Num mundo onde vigorem “valores civilizacionais” definidos como normatividade cultural para todas as culturas, porventura com minudências maliciosas como uma escala entre as mais e as menos civilizadas, os direitos humanos serão apenas um produto dessa normatividade que tem muito menos de possibilitadora do que de impositiva.

2 – “apesar das sucessivas declarações apaziguadoras de que a maioria das pessoas que vivem em bairros como Molenbeek em Bruxelas são gente pacífica — e são — e que condena com toda a veemência os actos de terrorismo — aí já não é bem assim, há nuances —, a verdade é que essas comunidades, que deveriam estar na vanguarda da luta contra o terrorismo que lhe é tão próximo, estão longe de o estar. E aí contam as fronteiras que a alteridade cultural ajudou a erguer, dobrada da crescente adesão dos jovens a um islão fundamentalista, e que reforçam o gueto por dentro. Por fora, sabemos quais são os factores que reforçam esse mesmo gueto, a falta de mobilidade vertical que a estagnação económica da Europa dos últimos anos acentuou e a dificuldade que as sociedades europeias têm de criar o élan ascendente que o melting pot americano tem conseguido para a maioria dos seus emigrantes, muitos dos quais chegam sem nada.”

Continue reading 4 comentários a 4 trechos de artigo de Pacheco Pereira

Anúncios